terça-feira, 13 de março de 2012

As questões do Alargamento

Independentemente da questão da legalidade/oportunidade do alargamento para 18 clubes, é preciso dizer que esta não é uma boa solução, pelo menos no imediato.

Como dizia e bem LFV, as equipas portuguesas têm mais tempo para se preparar para os jogos europeus. Nos ultimos dois anos é vísivel o crescimento e melhoria do Ranking português na UEFA, ao ponto de já estarmos à frente da França.

Também é preciso referir que a Taça da Liga, embora em moldes estranhos; vem colmatar a falta de 30 jornadas. Nos ultimos três o campeonato nacional tem sido bastante competitivo, quer na primeira, quer na segunda liga. A isso, se deve o facto de haver menos jornadas para corrigir o erro de uma derrota ou de um empate.


Antes de aumentar o número de clubes, o Presidente da Liga; ou os clubes que a representam, deviam preocupar-se em criar condições para que o espectáculo fosse mais apelativo. Reduzir o preço de bilhetes, horários mais simpáticos, estádios à medida das equipas.......


Infelizmente nenhum destes problemas foi resolvido, tendo sido mais importante a luta por mais dois lugares no escalão principal, onde entrarão equipas que irão aos estádios adversários jogar com os autocarros e mais preocupante irão andar num constante sobe e desce de divisão que em nada beneficia em equilibrar as contas e a definir objectivos.


A morte de alguns clubes históricos como o Campomaiorense, Boavista, Belenenses, Tirsense, Salgueiros entre outros foi o facto de numa competição pouco equilibrada conseguirem sobreviver sempre "à tona de água". O que é importante é organizar competições com clubes estáveis para que depois a qualidade seja também ela melhor.


Sem comentários:

Enviar um comentário